Análise | Gungrave G.O.R.E

Fala galera, estou na área novamente, com mais uma análise para lá de especial. E vamos lá!

Voltei, hoje vou falar sobre o shooter de ação em terceira pessoa, o Gungrave G.O.R.E. Esse game foi desenvolvido pelo Studio IGGYMOB e tem a distribuição feita pela Prime Matter, lançado para Playstation 4 e 5, Xbox One, Xbox Series X|S e PC, desenvolvido na Unreal Engine 4. E sem blá, blá, blá, sem mais enrolações, “bora, bora, lá. (não é a música de pagode do Thiaguinho hein!)

Abaixo, a história, acompanhem comigo…

História

Gungrave G.O.R.E começa com um resumo do que aconteceu nos games anteriores.

Assumimos o papel do anti-herói dos animes Grave em uma história de vingança. Cada jogo de Gungrave, tem sua própria organização inimiga e a ligação entre todos está na organização Seed. Assim como na relação entre Grave e Mika, Gungrave G.O.R.E tenta finalizar esse arco, onde Mika fundou o grupo “El Arcangel” com Grave ao seu lado, e finalmente descobriu a origem do Seed em “Scumland”, uma ilha no meio do oceano do sudeste asiático, onde o grupo “Raven Clan” governa a ilha. Vejam só meus amigos, que sinistro!

Iniciamos nossa aventura com El Arcangel atacando as instalações em Scumland, mas, como nada são flores, são derrotados pelos chefes do Raven Clan, mutantes aprimorados pela Seed, durante a fuga Grave é ferido e a Seed infecta Mika, incapacitando a pobre coitada, (oh coitada), Gungrave G.O.R.E nos coloca na jornada de vingança e destruição ao Raven Clan e da entidade “Who Knows Who”, prepare-se para mais uma surpresa e spoiler, pulem essa parte, por trás da Seed, além de ter que proteger Mika e encontrar a cura.

Depois que você pulou (risos) e não viu o spoiler acima, vamos ao gameplay!

Gameplay

O game de tiro em terceira pessoa, tem uma boa movimentação, criando uma ação fluida, com as pistolas Cerberus e o caixão EVO. Distribuímos balas e combos para todos os lados, nesse quesito, lembramos bastante de outra franquia bem conhecida. Devil May Cry, impossível não pensar nesse clássico ao jogar Gungrave G.O.R.E, principalmente na parte de combos, dano e estilo.

Grave é praticamente mudo e possui pouca interação com outros personagens. Isso funciona bem no anime que pelo que eu lembre( já estou velho, amigos e amigas), é um pouco diferente, mas no game acaba dando aquele clima de vazio, onde falamos pouco e atiramos muito e para todos os lados.

Por muitas vezes durante a gameplay tive a impressão de que já vi isso em algum lugar. Parece algo genérico, dica para curtir o game. Atire em tudo e em todos, hahahahha, os comandos são simples, atirar, mira manual ou automática, pulo, esquiva ou rolamento além dos ataques especiais. A melhor parte do game, geralmente o caixão vira uma arma nessa hora, existem alguns upgrades que podemos comprar no laboratório entre as missões, em diversas fases.

Gráficos e sons

Os gráficos de Gungrave G.O.R.E são bons, mas em alguns momentos parecem datados, sendo que os cenários seguem a mesma linha. Já a parte sonora, ajuda na ambientação e é boa.

Para jogar o game no PC precisamos de:

– S.O: Windows 8

– Processador: i7-4470k;

– Memória: 16 GB de RAM;

– Placa de vídeo: Geforce GTX 1060;

– Armazenamento: 30 GB de espaço disponível.

Veredito

Gungrave G.O.R.E possui uma grande capacidade, mas acaba tropeçando, é o chamado tropeça e cai.

Comento com vocês, que. o game é um bom shooter de ação. Conta com uma gama enorme para ser um clássico. Mas vem cá, um segredo. Querem a real? Não foi dessa vez! Quem sabe nas próximas versões. Eu recomendo o game para todos aqueles momentos, onde não temos o que jogar. Anote aí então, não tem o que jogar, olha aí a opção!

O game foi cedido gentilmente para a realização da análise. Meus sinceros agradecimentos a todos os envolvidos.

vou dar mais uns tiros aqui, fui…

Revisão: Alex Moraes Conceição.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *