Início » Análise – Kirby’s Return to Dream Land Deluxe

Análise – Kirby’s Return to Dream Land Deluxe

by Thiago Vidotti
7 minutes read

Após o enorme sucesso de kirby and the Forgotten Land e a incursão do mascote fominha num mundo 3D ricamente construído, divertido e trabalhado, ficou a pergunta do que viria a seguir para a Bolota Rosa. Eis que o escolhido para suceder o sucesso de 2022 foi uma revisita especial a um outro sucesso e uma volta a antiga fórmula plataforma 2D.

Kirby’s Return to Dream Land Deluxe é uma remasterização do ótimo jogo lançado para o saudoso Nintendo Wii lá em 2011 e pra justificar o relançamento de um game que envelheceu bem, a Nintendo não fez apenas uma atualização gráfica, mas adicionou mais conteúdo, afinal, é Kirby em versão Deluxe!

História e Ambientação

Kirby’s Return to Dream Land Deluxe se passa no planeta Pop, onde Kirby e seus amigos estão levando suas vidas até que uma grande nave cai dos céus espalhando fragmentos por todos os cantos do planeta. O viajante da nave interdimensional, chamado de Magolor, pede então ajuda a Kirby para poder recuperar as partes de sua nave e poder assim, retornar a suas viagens intergalácticas.

Jogabilidade e Level Design

Os jogos da franquia Kirby nunca foram desafiadores no quesito dificuldade, a ideia sempre foi trazer uma experiência relaxante e divertida para quem estivesse no controle. No lugar de grandes desafios ou fases enigmáticas, o objetivo é concluir cada estágio coletando as peças que estão espalhadas pela fase e conseguir o máximo de pontos possíveis. O grande trunfo do jogo e da franquia como um todo, está na habilidade do personagem adquirir certas habilidades quando ele suga determinado inimigo e/ou objeto. Esse é a mecânica principal do jogo e escolher a que o jogador julgar ser a melhor pra cada ocasião é o que o torna instigante.
Kirby’s Return to Dream Land Deluxe pode ser jogado em modo single ou então com até outros três jogadores localmente e cada modo tem seu valor. Um jogo mais centrado e linear é visto quando se joga sozinho, mas a diversão aumenta quando 4 pessoas dividem a mesma tela causando alguns momentos bem divertidos. Vale esclarecer que, no modo multijogador, as opções são: Rei Dedede, Waddle, Meta Knight ou um Kirby de outra cor.

As fases são simples, embora ricas em detalhes, a franquia nunca foi conhecida pelos desafios e aqui não é diferente, terminar cada um dos estágios não será problema nenhum e quem joga Kirby já sabe disso, então o que poderia ser um ponto de crítica, nesse caso, faz parte da direção tomada pela HAL Laboratory e pela Nintendo desde sempre.

Fases fáceis não são sinônimos de fases chatas e aqui é ponto para a HAL que sabe criar mundos ricos e vibrantes, com vários elementos e cenários que não deixam o jogo enjoar.

Além das fases vindas do jogo original, o jogo traz outros modos de jogo, conforme avança na campanha, minigames são desbloqueados e no Parque Magolândia é que a aventura multijogador faz todo o sentido com jogos a La Mario Party. Também é possível jogar online o  divertido Kirby Samurai 100. Mas não é só, afinal é um remaster Deluxe e a cereja do bolo fica com a inclusão de um epílogo que pode ser acessado após concluir a campanha principal e deixa o jogador no controle de Magolor com suas próprias habilidades, fazendo assim um gameplay diferente.

Uma breve menção a disponibilidade de um modo ainda mais fácil, onde Kirby praticamente não morre pode ser escolhido e é ideal para as crianças que estão aprendendo a jogar em controles com botões nesse mundo de telas e toques e, embora quase não falamos mais deles, os amiibos aqui também acabam dando uma forcinha na hora do jogo.

Gráficos, Sons e Desempenho

Um jogo que já era lindo no limitado hardware do Nintendo Wii ganha no híbrido da Nintendo ainda mais vida e cor. Pra quem tem o Switch Oled e joga em modo portátil fica aquela maravilha, mas os que preferem, como eu, uma aventura tradicional na tela grande, o jogo está lindo, vibrante e muito bem acabado, algo que a Nintendo tem procurado fazer em suas revisitações para o Switch. Um parênteses importante, o jogo é localizado para o Português Brasileiro de forma bem adaptada e, apesar de ser um jogo simples em conteúdo para traduzir, mostra que aos poucos a BigN vai olhando pro jogador brazuca de forma mais atenta e claro, um jogo de forte apelo pra criançada, o idioma ajuda muito!


Veredito

Kirby’s Return to Dream Land Deluxe é aquele jogo que ninguém pediu de uma franquia que tem ganhado jogos recorrentes nos últimos anos e que não é tão velho assim, por outro lado, Kirby’s Return to Dream Land Deluxe é o jogo que você não sabia que precisava revisitar até revisitá-lo, principalmente com os novos conteúdos. Se você gostar de histórias profundas, dificuldade alta e mil coisas a se fazer, talvez esse não seja o jogo pra você, mas se você relevar a falta de dificuldade característica da franquia e não se enganar pelo mundo colorido e lúdico de Kirby, este é um jogo perfeito para novos ingressantes que estejam curiosos em conhecer a franquia e principalmente para a criançada que pode ter um jogo divertido e acessível pra entender a essência da Nintendo.

Para um console que chega em seu 6º ano, Kirby’s Return to Dream Land Deluxe chega pra  matar a saudade das aventuras 2D de Kirby e dar ainda mais valor e diversidade de títulos ao console mais versátil da geração.

You may also like

Escreva um Comentário